• TVT
  • RBA
  • Rádio CUT
MENU

'Os Direitos sociais estão sendo ‘tratorados’ diz Manoel Cândido em entrevista

Manoel Cândido, agricultor familiar, colono na serra do mel e atual presidente da FETARN convoca os trabalhadores rurais para aderirem a greve geral do dia 14 de Junho.

Publicado: 06 Junho, 2019 - 15h07 | Última modificação: 06 Junho, 2019 - 16h27

Escrito por: Joan Pedro

ASCOM/FETARN
notice

Manoel Cândido, agricultor familiar, colono na serra do mel e atual presidente da FETARN convoca os trabalhadores rurais para aderirem a greve geral do dia 14 de Junho e também comenta sobre os impactos da reforma da previdência aos agricultores familiares.

Nascido no munícipio de Angicos, passou a ser delegado sindical em 1973, na comunidade rural de Alagoinha (Mossoró/RN), posteriormente se destacou nas luta em defesa da reforma agrária na região. Em 1992, foi eleito pela primeira vez presidente da FETARN, cargo que também ocupa atualmente, além de participar do conselho fiscal da CONTAG.

A Luta pela reforma agrária, direito à terra e direitos dos agricultores familiares vem de anos de mobilizações e trabalho de base da federação, portanto, os trabalhadores rurais tem papel fundamental nos atos contra a retirada dos nossos direitos.

CUT/RN: Sabemos que a reforma da previdência de Jair Bolsonaro e Paulo Guedes é maléfica para todos os trabalhadores e trabalhadoras, porém, se fazemos um recorte, os trabalhadores rurais são os que mais sofrem com essa mudança, qual são as bandeiras que a federação vem defendendo contra a reforma?

Os Direitos sociais estão sendo ‘tratorados’, principalmente a partir da medida provisória 871 e a PEC 06/2019. Portanto, o dever da federação e da nossa base é lutar pela garantia das regras da previdência rural, que assegura o trabalhador aos seus direitos mínimos, como o de poder se aposentar aos 60 anos (Homem) e 55 anos (Mulher).

 CUT/RN: Como está a mobilização e a adesão dos sindicatos rurais do RN para a Greve Geral do dia 14?

Para o dia 14 estamos trabalhando em todo o estado. No Seridó, estivemos reunidos durante toda a semana que passou e ficou combinado com os sindicatos daquele polo, que abrange em cerca de 25 sindicatos para participarmos do ato em Caicó. No Vale do Açú, ficamos de também participar dos atos na região, se concentrando em Açú com os demais movimentos sociais. Em Natal, nós vamos mobilizar os polos mais próximos, como Mato Grande, Central, Canavieiros, Potengi e etc para se fazer presente no grande ato. Na manifestação, iremos ter uma estrutura interna, como carro de som, para se fazer o debate com os demais segmentos da sociedade mais exclusiva dos trabalhadores rurais.



A FETARN e seus sindicatos rurais irão se juntar as dezenas de categorias que aderiram á greve geral no RN, confirme presença no evento e vamos fazer história no dia 14 de Junho!