MENU

Natal saiu às ruas por igualdade racial e Contra o governo Bolsonaro.

No RN, duas cidades realizaram mobilização em celebração a data

Publicado: 22 Novembro, 2021 - 16h34 | Última modificação: 23 Novembro, 2021 - 12h10

Escrito por: Concita Alves | Editado por: Joan Pedro

notice

Com faixas, bandeira, palavras de ordem, e reafirmando a luta por direitos, contra a fome, o desemprego e o racismo estrutural os movimentos sociais e o povo preto brasileiro saíram às ruas em defesa da igualdade racial, da vida, da democracia, e do direito ao emprego. Foi o sétimo ato do ano pelo Fora Bolsonaro.

No RN, duas cidades realizaram mobilização em celebração a data. Em Mossoró, o ato aconteceu pela manhã, e durante todo dia a programação seguiu com apresentações culturais do povo do axé no teatro e Feira “Afro e Étnico-Racial”, na Estação das Artes. Em Natal, a concentração começou as 15h na calçada do Midway Mall, e saiu em caminhada pela avenida Salgado Filho, com intervenções políticas, falas, batucadas, grupos de percussão e  pocket show com artistas potiguares.

Wésia Sena, Secretária de combate ao Racismo da CUT/RN, comenta soo dia 20 Novembro: “ O dia 20 foi uma data importante em que pudemos sair ás ruas e fazer nosso combate ao racismo, reivindicar nossas pautas, bem como gritar pelo fora Bolsonaro, mas gostaríamos de dizer que o combate ao racismo fazemos todos os dias, e é necessário que se faça. No tocante as mulheres negras principalmente, reafirmo a fala de Angela Davis quando ela diz que “Quando uma mulher negra se movimenta toda a estrutura da sociedade de movimenta com ela, porque tudo é desestabilizado a partir da base da pirâmide social, onde se encontra as mulheres as negras, muda-se a base do capitalismo”.




Nos 50 anos de celebração pelo Dia da Consciência Negra no Brasil, o povo gritou também pelo Fora Bolsonaro. Eliane Bandeira, presidenta da CUT/RN, reafirma a postura antirracista da central e a importância da data no fortalecimento dos movimentos negros e de mulheres, além da jornada de lutas nesse sétimo ato pelo fora Bolsonaro.

A violência e a exclusão que atingem majoritariamente a população negra e a relação existente entre a eliminação de pobres e negros e exclusão de políticas de Estado, predominou nas manifestações do último sábado, em todo o brasil. Para Alex Pontes, Secretário de Comunicação da CUT/Potiguar: “ Há um incentivo a politica de extermínio contra a população negra e periférica por parte das ações implementadas pelo governo federal, o desemprego, a fome potencializada em meio ao racismo estrutural. Além dos comentário racistas que tentam diminuir a luta histórica ou minimizar o que aconteceu no Brasil, apontam para o reflexo de uma elite branca que tenta manter privilégios em meio ao caos.

As manifestações foram articuladas por diversas entidades do movimento negro, como Coalizão Negra por Direitos, Anatorg e Convergência Negra, além das Frentes Brasil Popular, Povo Sem Medo, Fora Bolsonaro Nacional, CUT, Frente em Defesa do Serviço Público, coletivos, Movimentos por Moradia, Sem Terra e estudantes.