• TVT
  • RBA
  • Rádio CUT
MENU

CUT RN se solidariza à greve dos professores de Mossoró e em defesa da educação

Prefeita da cidade nega repasse integral dos recursos do FUNDEB como determina Ministério da Educação

Publicado: 21 Março, 2019 - 15h20 | Última modificação: 21 Março, 2019 - 15h33

Escrito por: Concita Alves

CUT RN
notice

A CUT RN lançou nota em solidariedade a greve dos professores municipais de Mossoró e em defesa da educação, diante da atitude desrespeitosa por parte da prefeitura de Mossoró, que vem se negando a negociar com a categoria de fazer o repasse integral dos recursos do FUNDEB, como determina o Ministério da Educação.

Na sexta-feira que antecedeu o carnaval, a prefeita de Mossoró, Rosalba Ciarlini enviou a Câmara Municipal um projeto de lei que reduz o aumento concedido pelo Ministério da Educação através do FUNDEB.

Em 12 de março, a Câmara Municipal de Mossoró ficou com galerias lotadas de professores, servidores municipais e pais de alunos pedindo que o projeto não fosse votado sem ser discutido com as categorias representativas. O resultado foi de 13 votos a favor e 7 votos contra.

“O Ministério da Educação determinou que o reajuste salarial dos professores em 2019 deve ser 4,17% , na contramão da história e contra a cidadania, o município de Mossoró apesar de ter recebido os recursos do FUNDEB com o aumento, tem feito malabarismos e negado o repasse integral aos professores, sendo oferecido um reajuste de apenas 3,75% que não contempla a realidade dos trabalhadores municipais da educação”, diz trecho da nota.

Após assembleia e várias negativas da prefeitura em negociar com a categoria, decidiu-se pela greve.

A Presidente do SINDISERPUM, Marleide Cunha, conversou com a CUT e explicou que essa greve não é só por 0,42%, a pauta da greve contempla: a mudança de classe (que deveria ser anual, mas não é repassada desde 2017); pela realização de Concurso Público, além da reivindicação da comunidade escolar de que os diretores sejam escolhidos por eleição e não por indicação política da prefeitura.

CUT RNCUT RN
O Sindiserpum colocou 3 outdoors expondo os 13 vereadores aliados da prefeita que retiraram direitos dos servidores

Veja abaixo a nota da íntrega:

[NOTA DA CENTRAL ÚNICA DOS TRABALHADORES - RN EM APOIO A GREVE DOS PROFESSORES MUNICIPAIS DE MOSSORÓ]

A CUT-RN vem em público manifestar sua indignação diante da atitude desrespeitosa da gestão da Prefeitura de Mossoró e Câmara Municipal, que vem se negando a negociar com a categoria dos professores municipais e de fazer o Repasse integral dos recursos do FUNDEB, determinado pelo Ministério da Educação.

Em solidariedade a categoria dos Profissionais em Educação e ao SINDISERPUM (Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Mossoró) a CUT torna público seu apoio à greve dos Profissionais da Educação.

As Leis brasileiras que tratam da educação buscam promover uma política de valorização dos professores a fim de corrigir uma dívida histórica da sociedade com os profissionais da Educação. O reajuste dos Professores da rede Municipal é dado todos os anos, levando em consideração o calculo estipulado pelo MEC. 

Na última terça feira, um projeto de lei complementar que dispõe sobre a concessão desse reajuste foi aprovado pela câmara municipal e encaminhado a prefeita Rosalba Ciarlini diminuindo o aumento concedido pelo Ministério da Educação em 0,42%, não restando outra opção a categoria senão à Greve.

O Ministério da Educação determinou que o reajuste salarial dos professores em 2019 deve ser 4,17% , na contramão da história e contra a cidadania, o município de Mossoró apesar de ter recebido os recursos do FUNDEB com o aumento, tem feito malabarismos e negado o repasse integral aos professores, sendo oferecido um reajuste de apenas 3,75% que não contempla a realidade dos trabalhadores municipais da educação.

Segundo o SINDISERPUM, a pauta da greve contempla: A Mudança de Classe(que deveria ser anual, mas não é repassada desde 2017); Pela realização de Concurso Público, além da reivindicação da comunidade escolar de que os diretores sejam escolhidos por eleição e não por indicação política da prefeitura.

Como ter esperança em uma educação de qualidade quando o poder público retira direitos dos professores? Que educação de qualidade nós teremos quando os que têm o dever de promovê-la, insistem em arquitetar manobras, criar formas legais e imorais para negar direitos que interferem na qualidade de vida e condições de trabalho dos professores, dos pais e dos estudantes e no direito de aprendizagem das crianças?

Enquanto a Prefeitura tenta diminuir o aumento legal concedido pelo Ministério da Educação negando um acordo digno com a categoria, cerca de 6.000 estudantes estão fora das salas de aula e vulneráveis as violências sociais. Muitos pais e alunos tem demonstrado apoio a categoria e foram as redes sociais clamarem para que a prefeitura receba os Professores. 

Essa greve não é por aumento é por direitos, e em direitos não se mexe.

Eliane Bandeira
Presidente da CUT-RN

carregando
carregando