• TVT
  • RBA
  • Rádio CUT
MENU

CUT repudia Lei que inclui aulas como serviço essencial e põe vidas em risco

CUT-RN repudia Projeto aprovado pela Câmara de Natal, que obriga escolas particulares a voltarem às aulas e presta solidariedade a professores e funcionários da comunidade escolar

Publicado: 25 Março, 2021 - 17h33 | Última modificação: 25 Março, 2021 - 17h44

Escrito por: Redação CUT RN

notice

CUT-RN REPUDIA PROJETO APROVADO PELA CÂMARA DE NATAL, QUE OBRIGA ESCOLAS PARTICULARES A VOLTAREM ÀS AULAS, E PRESTA SOLIDARIEDADE AOS PROFESSORES E FUNCIONÁRIOS DA COMUNIDADE ESCOLAR

A Central Única dos Trabalhadores do Rio Grande do Norte presta solidariedade aos profissionais das escolas privadas, sejam professores, professoras, faxineiros/as, porteiros/as e o corpo que constrói a comunidade escolar, por serem obrigados à voltarem aos postos de trabalho, sem receberem vacina, e assim, arriscarem suas vidas e dos familiares.

Em paralelo, a Central também repudia a ação do vereador Klaus Araújo, do partido Solidariedade, em apresentar Projeto de Lei na Câmara Municipal que inclui aulas como serviços essenciais, sobrepondo o direito à vida e a saúde coletiva de todo povo de Natal.

Dos 29 vereadores da Casa, apenas três votaram contra o Projeto que foi apreciado e aprovado facilmente pelos parlamentares na tarde desta quarta-feira, 24. Durante a Sessão Legislativa, a condução da discussão foi assustadora porque as vidas e o colapso no sistema de saúde no RN foram tratados como "problemas menores" diante do calendário escolar que está parado pelo avanço do coronavírus.

Ainda, Especialistas e comitês científicos alertam que esse é o pior momento da pandemia, desde o início, mas para a Câmara Municipal de Natal, os pais e mães dos alunos "devem ter o direito de escolher entre levar ou não os filhos à escola", reafirmando erroneamente que os direitos individuais são mais importantes que o que prevê a Constituição Federal.

A CUT vai de encontro a esse discurso por defender primeiramente a vida, o isolamento social e a saúde dos trabalhadores que correm perigo, todos os dias. Para a entidade, o isolamento segue sendo o principal meio de assegurar que a transmissibilidade irá diminuir, somado ao pagamento do auxílio emergencial decente e celeridade da vacina. Não somente ficar em casa e não ter dignidade em sobreviver, mas sim, estar ciente que o governo federal será mais forte e vai assegurar políticas públicas.

Por fim, a CUT ressaltou que defende a vida e luta todos os dias pelo direitos de existir de todos e todas.

Eliane Bandeira,
Presidenta da CUT
25.03.21